sábado, 7 de setembro de 2013

Projeto tecnológico com a mesma tarifa de ônibus

07/09/2013 - Diário Catarinense

Pelo mesmo preço, com muito mais tecnologia e um terminal integrado ao sistema de transporte coletivo. Este é o projeto que a prefeitura de Florianópolis vai levar para a audiência pública marcada para segunda-feira. A proposta incluiu a utilização do terminal de Capoeiras, desativado há 10 anos, e a criação de um aplicativo para celular e tablet. Tudo com a mesma tarifa existente hoje.

A prefeitura aposta na licitação do transporte coletivo para dar uma resposta aos cidadãos num setor que foi o ponto de partida das manifestações em junho deste ano, que levaram milhares às ruas em Florianópolis. A concorrência é vendida como um divisor de águas para um sistema mais racional, moderno e eficaz. A promessa é que o edital seja lançado neste mês e o vencedor anunciado até o final do ano.

As principais mudanças passam por anexação de tecnologias para que passageiros tenham mais acesso a informações e a ativação do terminal de Capoeiras. Além de receber passageiros de outras cidades, ele servirá de base para uma linha que conectará os bairros da parte continental de Florianópolis. Hoje, para ir de um ponto a outro do Continente, é preciso pegar um ônibus até o Centro e cruzar duas vezes as congestionadas pontes Pedro Ivo e Colombo Salles. A expectativa da prefeitura é que, quando os novos ônibus passarem a operar, a população conte com uma frota mais nova e com câmeras em todos os veículos. Um ponto que levanta muitas discussões e deve ser bastante debatido na audiência pública é o ar-condicionado. As opiniões são bem divididas sobre o assunto.

Todas as melhorias serão custeadas pela empresa ou consórcio vencedor. O contrato também prevê que haverá penalidades em caso de falta de qualidade ou interrupção do serviço. Greves podem ser punidas até com fim da concessão.

Empresas esperam avaliar edital para falar de viabilidade

A proposta não convence o sindicato dos trabalhadores (Sintraturb) que considera tudo apenas discurso de um jogo de cartas marcadas e que terá os mesmos empresários vencedores. O diretor Deonísio Linder diz que o que vai mudar é a cor dos ônibus.

O presidente do sindicato dos empresários (Setuf), Waldir Gomes, defende a concorrência e afirma que é preciso avaliar o edital para responder se as melhorias não interferem no preço da passagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário