sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Reconhecimento facial começa a funcionar em terminais de ônibus

01/08/2014 - G1 SC

O sistema de reconhecimento facial no transporte coletivo de Florianópolis começou a funcionar na semana passada, dia 21. De acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis (Setuf), cerca de 250 mil usuários são cadastrados para o uso de cartões e aproximadamente 40 mil tem direito algum tipo de benefício.

Câmeras foram instaladas nos seis terminais de integração da cidade e vão verificar se os usuários que usam os cartões de gratuidade são os próprios titulares. A intenção desse novo sistema de reconhecimento facial é identificar os passageiros que estão utilizando de forma incorreta os benefícios que dão desconto na tarifa.

De acordo com o Setuf, o sistema passou por um período de experiência. Durante esse tempo cerca de 2 mil cartões foram identificados com uso irregular.

O sistema vai fiscalizar os cartões especiais de deficientes, com e sem acompanhantes, de oficiais de justiça e de carteiros, cartões de idosos e os cartões estudantes, que possuem 50% de gratuidade. As pessoas que usam o cartão-cidadão e o cartão vale-transporte não serão monitorados.

De acordo com o presidente do Setuf, Valdir Gomes, os passageiros são identificados posteriormente. "Quando a pessoa se aproxima da câmera ela vai tirando fotos, entre cinco e oito fotos. Quando o usuário passa o cartão vai ser verificado se é um cartão de benefício. Se for com benefício, ele vai procurar dentro do seu arquivo a foto que está cadastrada e comparar com a foto da pessoa que passou", declara.

Caso esse usuário não seja o dono do cartão, o sistema emite um alerta de uso indevido para a central, onde um funcionário responsável pela apuração dos dados coletados deve comparar a fotografia do titular no sistema. Em caso de dúvidas referente a foto do usuário, uma comissão será formada para decidir se aconteceu o uso incorreto ou não.

Punição

Diariamente o sistema irá emitir relatórios com os usuários que o sistema registrou como não titulares dos cartões. Se for constatado o uso indevido, o cartão será cancelado no dia seguinte e o saldo de créditos será zerado. A segunda via custará 20 vezes o valor da tarifa do coletivo, ou seja, R$ 55.

As irregularidades serão encaminhadas para a Secretaria de Mobilidade Urbana de Florianópolis.

O projeto está sendo realizado desde 2013, conforme o Setuf, e se baseou na auditoria realizada em outras cidades brasileiras. O sistema vai funcionar nas linhas municipais e nos terminais. A próxima etapa é a implantação nas linhas que partem dos bairros, mas por enquanto o reconhecimento continuará sendo feito pelos cobradores dos ônibus.